5 Motivos Para Educar Seu Filho Em Casa

Atualizado: Jul 11

Vale a pena entender o que leva uma família a escolher um estilo de vida tão diferente.



Se nunca passou pela sua cabeça educar seu filho em casa, nós temos aqui alguns motivos para que você considere a possibilidade. A educação domiciliar é uma modalidade de ensino que já tem a sua prática regulamentada em vários países.


Por exemplo: Estados Unidos, Áustria, Bélgica, Canadá, Austrália, França, Noruega, Portugal, Rússia, Itália e Nova Zelândia. Nos EUA por exemplo, cada federação tem sua própria legislação sobre o assunto.


Os motivos para educar seu filho em casa podem ser inúmeros e, certamente, variam de família para família, assim como os métodos de ensino adotados.


Algumas dessas motivações costumam ser a busca de excelência na educação, por convicções religiosas, por questões financeiras, por causa de um filho com necessidades especiais, por discordância com método pedagógico das escolas ou por causa de ideologias e doutrinas.


Mas o que tende a ser uma descoberta quase unânime, é o fato de que a educação domiciliar se trata de um estilo de vida. E como num universo imenso de preferências, escolhas e características individuais, cada família desenvolve seu próprio estilo, seu jeito de ser homeschooler.


Educar seu filho em casa: um desafio


Educar seu filho em casa pode parecer uma missão desafiadora. E é verdade. Um dos motivos é porque aqui no Brasil não se tem referência histórica e cultural da modalidade, tudo é novo.


A geração de pais que pratica estudou em escolas e tem, naturalmente, a mentalidade escolarizada. Isso não é um empecilho, mas requer um esforço importante para evitar que se tente, a todo custo, transformar a casa numa escola.


Se a educação dos pais é deficitária, o caminho é o estudo, o empenho e a esperança. Os pais tendem a, durante o processo educativo dos filhos, caminhar em sintonia, num cenário em que todos aprendem juntos.


Contudo, existem meios para suprir essa lacuna, como cursos on-line próprios para pais homeschoolers, livros, materiais de apoio dedicados a educação domiciliar. O certo é que educar seu filho em casa exigirá que você se dedique a estudar.


Mas, voltando à questão das motivações, elencamos aqui 5 para ajudar na reflexão:


1. É possível acompanhar o desenvolvimento dos filhos de perto


Educar seu filho em casa permite que ele tenha um ensino personalizado, ajudando-o a aprimorar habilidades e desenvolver-se naquilo que tem dificuldade. O apoio da mãe ou pai viabiliza a identificação de lacunas que podem necessitar de ajuda especializada, ou que requeiram uma abordagem de ensino diferente da aplicada. Isso promove uma tomada de ação precoce e mais efetiva. E até mesmo ensina o educando a lidar com desafios da melhor maneira possível.

No caso de crianças com necessidades especiais, a escolha pela educação domiciliar acontece justamente por proporcionar essa atenção personalizada, já que em um ambiente escolar pode ser difícil que isso aconteça de forma natural.


2. É possível estabelecer rotinas que favorecem o aprendizado


Os pais conhecem as potencialidades de cada filho, e a partir disso podem ordenar os estudos de forma a favorecer e estimular o aprendizado.


Se você já percebeu que seu filho tem facilidade de aprender um determinado conteúdo num período específico do dia, é possível ser flexível e adequar a rotina. Os feriados, férias, finais de semana não são obrigatoriamente dias de “não aprender”, eles costumam ser aproveitados para estudar, seja formal ou informalmente.


O fato de não precisar de deslocamento pode representar um tempo a mais para a rotina, seja ela de brincadeiras, convívio familiar, leitura ou estudo formal. Sem falar que, a depender da personalidade do seu filho, ele pode aprender melhor tendo vários períodos curtos de estudos, distribuídos durante o dia, do que ficar 4 horas corridas estudando. No homeschooling, até mesmo a hora de fazer o almoço pode se transformar numa deliciosa aula!


3. Estímulo ao autodidatismo


A educação domiciliar estimula o autodidatismo porque os pais, conhecendo as potencialidades da criança ou do adolescente, prestam o auxílio necessário para que eles ganhem confiança em si. O estudante aprende a intuir e a, sozinho, pesquisar. Quando vai descobrindo suas habilidades e gostos, tem tempo disponível para se desenvolver, não precisa cumprir, obrigatoriamente, um programa que o impeça de se aprofundar em temas de maior interesse.


4. Compartilhamento de valores familiares e sociais correspondentes


Também costuma fazer parte das motivações das famílias a questão da transmissão de valores e hábitos. Deste modo, o fato da formação de valores e do caráter serem formados nos primeiros anos de vida, faz com que os pais tenham esta questão levada em consideração. A educação domiciliar é importante para criar vínculos entre pais e filhos e, assim, solidificar esses valores para quando os filhos chegarem à vida adulta. Lá na frente, terão a oportunidade de fazer escolhas livres. É sempre bom lembrar, diante de tudo isso, que nós costumamos nos parecer com quem nos educa. O ato de educar traz em si este elemento e, por isso, se faz tão importante a presença dos vínculos familiares.


5. Flexibilidade curricular


Na educação domiciliar existe uma flexibilidade curricular, tanto na distribuição quanto no tempo dedicado a cada conteúdo. Por exemplo, uma família pode optar por estudar uma disciplina a cada mês, em vez de estudar 10 disciplinas ao mesmo tempo durante um ano.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo